O uso clínico da hipnose tem aplicabilidade diversificada e ampla, compreendendo desde situações ligadas à saúde quanto ao desenvolvimento pessoal, por exemplo. Embora não tenha regulamentação própria no Brasil, é reconhecida pelos Conselhos de medicina, odontologia, fisioterapia e psicologia, como uma técnica coadjuvante e integrativa.

Na área medicinal e odontológica a hipnose pode ser utilizada, entre outras coisas, para analgesia, no processo anestésico e de cicatrização e inclusive no controle emocional dos pacientes no momento de realizar procedimentos cirúrgicos. Na fisioterapia pode ser utilizada no tratamento das dores crônicas e na psicologia para depressão, ansiedade, além de ressignificar episódios traumáticos, medos e fobias.

Já para além do âmbito da saúde, quem procurar melhorar a autoestima, autoconfiança, autoconhecimento, poder de concentração, desempenho na hora de falar em público, também pode recorrer à técnica porque ela serve para melhorar a qualidade de vida das pessoas em todos os aspectos.

Um estado natural

A hipnose é um estado natural do ser humano. Sabe quando você está lendo aquele livro e se entrega tanto à história que acaba esquecendo do mundo real? E quando está dirigindo e entra no “piloto automático” deixando o momento presente e pensando em coisas que aconteceram ou que possam acontecer? Quem nunca?  Esse “desligar” é o chamado transe hipnótico, natural.

O que os profissionais, sejam hipnólogos ou hipnoterapeutas, fazem é utilizar desse estado natural para induzir o paciente ao relaxamento profundo reduzindo a capacidade crítica para aplicar as técnicas específicas de acordo com a necessidade do cliente seja por questões relacionadas ao físico, comportamental, psicológico ou emocional.

 

Leave a Comment